sábado, 14 de abril de 2012

Artigo: "Remember The Time - Quando Negros Eram Reis e Rainhas"

Traduzido por Lucas Bucchile
Fonte: ARQUIVO MJ



JET, fevereiro de 1992
Por Aldore Collier


Reminiscente de um dos antigos épicos bíblicos de Hollywood, Michael Jackson escolheu o antigo Egito como o cenário de seu exótico e extravagante novo vídeo, Remember the Time. A agitada música entretém, enquanto a história e o ambiente remetem a um tempo quando negros governavam um dos maiores impérios da civilização.

“Geralmente, em grandes espetáculos nos quais cineastas trabalham com o antigo Egito, eles não mostram ou contam a verdade”, disse John Singleton, que dirigiu o curta de sete minutos. Singleton, que também dirigiu o aclamado Boyz N the Hood, disse que “eles não mostram a beleza das pessoas negras. Michael quis fazer algo para nos mostrar como somos – pessoas muito bonitas.”

O clipe apresenta Eddie Murphy como Faraó Ramsés, a supermodelo Iman como Rainha Nefertiti e Earvin “Magic” Johnson como o anunciante da corte. No vídeo, Nefertiti diz ao faraó que está entediada. Para entretê-la, ele pede ao anunciante que chame um malabarista e um lança-chamas. Mas ela não se impressiona.

Finalmente, uma misteriosa figura vestida em um manto aparece, desaparece e re-emerge como Michael Jackson. Depois que ele (Jackson) levemente flerta com a rainha, um enfurecido faraó ordena que seus homens o persigam pelo palácio e mercado. Depois de tomar dançarinos através de rotinas bem coreografadas, ele corre pelo palácio e tem uma surpreendente e apaixonante cena de beijo com a rainha. Logo quando está prestes a ser encurralado, ele desaparece de novo e re-emerge como um gato.

Singleton e Jackson colaboraram no tema e elenco por várias semanas antes do vídeo ser filmado em menos de uma semana no mês passado.

Singleton tem sido um fã de Jackson por toda sua vida. “Eu apenas o chamei e disse que se quisesse que eu filmasse um clipe para ele, estaria disponível”, ele se lembra. “Nós conversamos e então aconteceu que o próximo single do álbum Dangerous, Remember the Time, estava chegando e ele precisava de um diretor. Foi uma colaboração decidindo quem poderia interpretar o faraó, quem seria realmente engraçado porque queríamos fazer o clipe divertido. Eu disse ‘Por que não Eddie Murphy?’ e ele disse 'Yeah’. Então, Michael chamou Eddie para ver se ele toparia e ele disse que sim. Nós queríamos uma irmã muito bonita para fazer a rainha. Ele disse, ‘Você sabe quem eu acho muito bonita mesmo?’ Olhamos um para o outro e ambos dissemos ‘Iman!’ Foi como osmose!”

Singleton disse que quer o clipe tão educacional quanto divertido. “Nós temos um patrimônio de orgulho.”

O vídeo foi coreografado por Fatima, que já trabalhou com Whitney Houston, Stevie Wonder e Keith Sweat. “John queria que a dança fosse hip hop, ela disse à JET. “Tudo está indo para esta área do hip hop. Hip hop é algo como aeróbica. É muito rápido, e basicamente têm nossas raízes africanas. Com Michael, o que fizemos foi mais dança técnica. Nós o fizemos egípcio, mas sem perder sua característica de rua. É algo como techno hop. Este foi um estilo inédito para Michael, mas ele se saiu ótimo. Ele aprende passos muito facilmente. E ele se divertiu muito. Nós tivemos que ensaiar cinco ou seis horas por dia, mas foi divertido. Estamos felizes por isso ser algo inteiramente negro.”

O single Remember the Time foi escrito por Jackson, juntamente com Teddy Riley e Bernard Belle. Foi o single seqüência de Black Or White, que passou sete semanas no topo das paradas musicais. Acima de tudo, o álbum Dangerous, de Jackson, esteve no topo das paradas, ou próximo, desde sua estréia no último outono.

Embora nenhum número tenha sido divulgado, o pródigo e autêntico set de Remember the Time tem seu custo reportadamente em torno de $2 milhões.

Singleton disse a JET que Jackson faz curtas-metragens, não vídeos. Embora ele tenha feito uma série de curtas-metragens como estudante da Universidade da Califórnia do Sul, esta foi sua primeira vez como um profissional. Ele está agora trabalhando em seu segundo longa-metragem, Poetic Justice, um filme ambientado em L.A do Sul e Oakland. Ele chamou este filme de “um romance das ruas, uma história de amor comum, não do povo burguês.”

-

2 comentários:

  1. Ah, eu li esse artigo no The Essential.

    ResponderExcluir
  2. Esse clip foi muito bem feito. E a música é linda.

    ResponderExcluir