quarta-feira, 20 de julho de 2011

Michael Jackson: Um amigo da África

Michael foi um verdadeiro ativista na luta contra os problemas da África - desde a pandemia de AIDS até a fome extrema. Podemos constatar isso nesse artigo, postado em 2004, no site The Final Call, de autoria de ASKIA MUHAMMAD.

POR ASKIA MUHAMMAD
FONTE: THE FINALL CALL.COM
TRADUÇÃO E ADAPTAÇÃO POR FELIPE C. OMENA,
ESPECIALMENTE PARA O BLOG MJJ FC.
www.mjj-fc.blogspot.com

----------------------------------------------------------


Michael Jackson: Um amigo da África

O continente africano tem um verdadeiro amigo em Michael Jackson. Durante suas três décadas de visitas, desde a infância, Jackson apoiou, financeiramente, programas para construir e equipar hospitais, orfanatos, casas e escolas, assim como programas relacionados a vacinação de crianças, AIDS, e a luta contra o regime apartheid.

A comunidade diplomática da África mostrou
oficialmente sua apreciação, presenteando o Rei do Pop, considerado o filantropo mais generoso do mundo do entretenimento, com uma estatueta de 30 centímetros de um elefante de bronze, da Associação de Esposas de Embaixadores Africanos (ADSG), em reconhecimento de seus trabalhos humanitários mundiais, especialmente na África (foto ao lado).

"Eu gostaria de aproveitar essa oportunidade para agradecer ao Sr. Jackson em nome da população do meu país, Etiópia", disse a Sra. Haregewoine Abebe, esposa do embaixador da Etiópia e anfitriã da recepção de gala na embaixada de seu país, a mais de 200 convidados.

"Vocês devem lembrar que o Sr. Jackson e seus colegas, Sr. Quincy Jones e Sr. Lionel Ritchie, começaram o projeto We Are The World em 1985. Esse enorme empenho levantou milhões de dólares para auxiliar as vítimas da fome e mobilizou o mundo em resposta à tragédia enfrentada pela Etiópia naquele tempo", disse Abebe, que foi aplaudida.


Em 1984, Michael Jackson compôs a canção 'We Are The World', gravada por dezenas dos mais populares cantores do mundo. A gravação e o vídeo arrecadaram milhões de dólares para auxiliar no combate a fome na Etiópia.

Jackson esteve em Washington para encontros públicos com diversos membros do 'Congressional Black Caucus' (CBC), para promover a conscientização da pandemia de AIDS no continente, e para visitas particulares com estudantes da Duke Ellington School e com os militares feridos dos EUA que estavam sendo tratados no hospital Walter Reed Army.

"Eu não posso imaginar um maior triunfo para essa luta contra a AIDS na África, e nos ajudando a fazer o bem temos as promessas do Presidente Bush, de ter Michael Jackson com a gente", disse a repórter Sheila Jackson-Lee, no 'Capitol Hill', em 31 de março, de acordo com relatórios publicados.

Durante 2 dias, Jackson reuniu-se com uma dúzia de membros da CBC - incluindo Lee, William Clay Jr., Chaka Fatah, Jesse Jackson Jr., John Lewis e Bobby Rush -, e com uma delegacia de embaixadores africanos. O principal foco das reuniões foi aumentar a conscientização sobre a praga de AIDS no Continente Africano.

No total, 39 membros da CBC recusaram a reunião oficial com Michael Jackson, devido a uma agenda lotada, de acordo com a Sra. Jackson-Lee. Porém, uma fonte, que pediu para não ser identificada, relevou: o real motivo das recusas foi a 'preocupação' dos membros da CBC. "Eles não queriam associar-se com alguém que pode ser um molestador de crianças. Essa não é a posição desse ofício", disse a fonte.

Jackson foi acusado na Califórnia - 7 acusações de abuso sexual infantil e 2 de dar álcool a um menor.

"Eu estou bem ciente de que o Sr. Jackson está de acordo com a lei", disse a Sra. Jackson-Lee, numa declaração preparada. "Eu também estou ciente de que ele é inocente até ser provado o contrário. Eu acredito na retidão da justiça, e o Sr. Jackson deveria poder prosseguir sua vida. Ele é um fenômeno mundial, e nós deveríamos olhar além da condenação - pois Michael Jackson nós trás fé, caridade e esperança."


Bobby Rush concordou: "Nós somos uma nação de leis, e as pessoas são inocentes até provarem sua culpa. Eu saí dos meus encontros com Michael Jackson sentindo que ele seria um porta-voz magnífico para as pessoas sofredoras de AIDS. Ele realmente é alguém que pode liderar a luta global por aqueles que sofrem dessa doença. Sua voz seria poderosa e forte em todo o mundo para proporcionar tratamento médico e até mesmo a cura."

Jackson garantiu que era "capaz e disposto a dedicar todo o resto de sua vida para a epidemia de AIDS", disse Mr. Rush. "Com esta campanha, Michael continuará tendo um impacto em nossas vidas. Ele é o homem para um tempo como este."

Durante as reuniões, aproximadamente 50 espectadores, que esperavam por um vislumbre do superstar, berraram, gritaram e cantaram: "Michael! Michael!". A 'Capitol Police' (USPC) e guardas de segurança ajudaram Jackson, o empurrando no meio da multidão, no hall de um dos edifícios da repartição oficial, em seu caminho para entrar e sair dos encontros realizados durante 2 dias.

"Isto é muito, muito importante para mim", disse Jackson, numa resposta de improviso à pergunta dos repórteres sobre seu compromisso com a luta contra a propagação da doença. "Eu tenho viajado para a África e tenho feito contribuições financeiras lá", disse ele numa declaração escrita. "Porém ainda existem 9 mil pessoas por dia morrendo de AIDS. Há algumas poucas escolas em que as crianças não estão sendo educadas. Muitas estão passando fome e morrendo de diversas doenças."

"Alguns dos prazeres da vida que nós aproveitamos - água corrente, eletricidade, estradas pavimentadas, banheiros funcionando, camas e comida - são sonhos para a maioria das nossas famílias africanas. Todos nós compartilhamos o mesmo compromisso e todos nos importamos com o que está acontecendo à nossa irmã, a África", declarou Michael.


O envolvimento de Jackson é 'bem-vindo', de acordo com um influente embaixador africano. "AIDS é um grande problema para todo o mundo, não só para a África. Nós sabemos pois estamos na vanguarda da luta contra essa doença", disse o embaixador Edith Ssempala, da República da Uganda, em entrevista ao Final Call. "Isso não pode ser combatido por apenas uma pessoa. Isso não pode ser combatido por apenas um país. Está é uma luta em que todos devemos nos comprometer, só assim definitivamente daremos boas-vindas a Michael."

A Uganda é um dos mais bem sucedidos países africanos na luta contra a propagação de AIDS, e sua estratégia tem sido realizada por autoridades americanas como um modelo para o continente onde mais de 30 milhões de pessoas estão vivendo com o vírus. Chamada "A-B-C", essa 'estratégia-tripla' aborda o domínio de si mesmo, sendo fiel ao parceiro sexual, e o uso de preservativos.

Agora, o mundo todo deve reunir-se para ajudar a África, de acordo com o embaixador Ssempala. "A África ajudou o resto do mundo a se tornar o que eles se tornaram. Ajudou a Europa. Ajudou ao Japão. Ajudou aos 'Tigres Asiáticos'. Isto foi um real investimento na segurança do mundo."

Em resposta aos convites de diversos governos africanos emitidos em seus encontros no 'Capitol Hill', Jackson prometeu visitar alguns de seus países numa turnê, a fim de ajudar a arrecadar dinheiro para programas de educação, tratamento e prevenção da AIDS.

Jackson, agora com 43 anos, disse aos convidados da recepção da ADSG que viajava para a África desde que tinha 12. E ele leva seus filhos, geralmente para férias. De fato, ele confidenciou que a África é o destino favorito de suas crianças.

Coincidentemente, o nome de um outro superstar da 'black music' estava sendo emprestado para aumentar a conscientização em apoio à educação na África, ao mesmo tempo das visitas de Jackson.

A Associação de Esposas de Embaixadores Africanos (ADSG) foi fundada em 1978, com o objetivo de proporcionar assistência a programas que beneficiam crianças carentes nos 51 países participantes. Ela está planejando um jantar de gala, em Washington, para arrecadar fundos para auxiliar crianças deficientes. "Eu irei apoiá-los totalmente em seus esforços", disse Jackson. "E eu incentivo vocês todos a fazerem o mesmo."

"Nós precisamos usar quaisquer recursos que temos para trabalharmos juntos e combater todos esses problemas. Diversos membros do congresso prometeram apoio por nossos esforços em continuar aumentando a conscientização do povo americano, e em continuar a luta pelo financiamento adequado dos programas que auxiliam a África. Isso é bom e precisamos apoiá-los", disse Jackson.


"Isso é bom. Isso é muito bom e nós estamos muito felizes. Michael quer ajudar a ADSG e a África - pela AIDS, e pelas crianças deficientes. Então estamos animados", Sra. Haoua Diatta, esposa do embaixador da Nigéria, disse ao Final Call.
---------------------------------------------------------------
-



© 2010 – MJJ FC – Os direitos autorais do texto pertencem só e exclusivamente a seu autor. É unicamente dever do autor garantir a integridade do mesmo.

10 comentários:

  1. Ufa, finalmente uma nova postagem! Demorou hem, Felipe? É isso mesmo, fico esperando entrar aqui e encontrar um assunto novo sobre o Mike. Exigente, né? rsrsrsrs

    Nosso lindo fez muita coisa boa pela África. Como ele era querido por lá, né? Verdadeiramente um amigo da África. Mas só depois que ele morreu é fiquei sabendo que ele fazia essas coisas. Só me disseram que ele mexia com crianças.

    Gostei muito do texto e de saber que foi você que traduziu. Parabéns!

    Michael, I love you!!!!!!!

    ResponderExcluir
  2. Um bom texto! Traduzido e adaptado por você, cara? Já estão surtindo efeito as aulas de inglês! Isso é muito bom! Congratulations!
    É, Babi, essa imagem que passaram pra você, passaram também para a MAIORIA das pessoas. Lamentavelmente! Se eu não acompanhasse a trajetória do Rei, seria, também, uma dessas vítimas.
    Michael Jackson foi uma pessoa formidável! Alguém que se preocupava com seus semelhantes, estivessem próximos ou distantes.
    We Are The World... me intriga o fato desse projeto não ter sido de sua iniciativa. Mas o que importa é a sua participação ativa, produzindo o sucesso estrondoso que foi.
    Ele foi muito amigo daquele país. Talvez porque ele se sentisse um pouco filho dele.

    "Alguns dos prazeres da vida que nós aproveitamos - água corrente, eletricidade, estradas pavimentadas, banheiros funcionando, camas e comida - são sonhos para a maioria das nossas famílias africanas." - Michael Jackson se importava com isso!

    MJ Eterno

    ResponderExcluir
  3. Mike era amigo de todo mundo. Ele viajou muito pra África ajudando as pessoas de lá. Eles estão sentindo muita falta dele agora.

    L.O.V.E.

    ResponderExcluir
  4. Concordo com a Bel. Michael sempre fez questão de ajudar a todos os necessitados, não somente na África como em muitos outros lugares pelo mundo todo.
    Um verdadeiro exemplo a ser seguido.

    ResponderExcluir
  5. Excelente postagem Felipe!!
    Nosso Michael fez muito pela Africa, e pelo mundo todo!
    Ainda falta sabermos de muitaaa coisa, pode ter certeza disso.
    Michael é realmente um exemplo à ser seguido.
    Babi minha fofa...tentaram de todas as formas depreciar Michael. Distorceram sua imagem propositalmente. Tentaram à todo custo fazer com que Michael ficasse desacreditado perante o mundo todo. Coisas do poder...conspirações...
    Um dia teremos uma visão bem diferente de tudo que acontece no mundo. Veremos tudo sem as vendas que nos colocam.
    Esse dia chegará...
    Teremos um nível mais elevado de consciência em tudo que gira ao nosso redor.
    O mundo não será mais manipulado como sempre foi.
    Saberemos separar o joio do trigo por nós mesmos.
    Essa mudança é necessária, Michael sempre nos alertou. Ele nos abriu os olhos para muita coisa.
    Já estamos despertando para essa mudança...graças à ele!

    "Michael é um jovem politicamente, espiritualmente e moralmente muito consciente.
    E aqueles do poder, têm medo de que
    ele vá usar o magnetismo de sua enorme atração para acordar seus fãs e
    conduzi-los à um nível superior de consciência."
    (Louis Farrakhan – Líder da Nação do Islã)

    Beijos em todos...amo vcs!

    Michael...I love you more...L.O.V.E.

    ResponderExcluir
  6. Essa forma de ouvir a MJTunes aqui ficou melhor Felipe. Antes qualquer clic interrompia a música. Adoro essa rádio!!!

    ResponderExcluir
  7. Michael era realmente um filantropo, com todas as letras: "aquele que ama os homens e se ocupa em melhorar-lhes a sorte, dedicando-se a obras de caridade." É esse o seu perfil.

    Ele tomou por adoção o Continente Africano, por reconhecer, naquele povo, a carência, em todas as suas proporções. Ajudou o quanto pode e, tenho certeza, todos lá são gratos a ele.

    O texto faz menção às acusações de abuso sexual infantil que, segundo o tal grupo, Michael teria cometido. Gostei das palavras da Sra. Jackson Lee, ciente da inocência do nosso Michael: "...Ele é um fenômeno mundial, e nós deveríamos olhar além da condenação - pois Michael Jackson nos trás fé, caridade e esperança."

    Felipe, fiquei maravilhada em ler um texto bem escrito, que foi traduzido e adaptado por você. Não é todo mundo que sabe fazer isso. A postagem está linda, toda ilustrada com fotos e aspas. Você está de parabéns.

    Michael Jackson, o filantropo.

    ResponderExcluir
  8. Que maravilha Felipe!
    Um novo tópico traduzido por você!!!
    Parabéns!
    Ficou muito bom mesmo!

    Michael sempre teve esse espírito filantrópico.
    Em toda cidade que passava, durante as turnês, ele ia a hospitais, orfanatos, levar seu carinho, amor... além de presentes para as crianças!
    Ele dava o que abundava em seu ser e o que faltava aos mais necessitados - AMOR!!!

    Mas foi sua ação na África, de acordo com o texto e o Guto cita, que nos levou a uma reflexão sobre o pouco que fazemos pelo próximo...
    "Alguns dos prazeres da vida que nós aproveitamos - água corrente, eletricidade, estradas pavimentadas, banheiros funcionando, camas e comida - são sonhos para a maioria das nossas famílias africanas."

    As vezes o nosso próximo está tão perto e não enxergamos!
    Pode ser alguém do nosso ambiente de trabalho, ou mesmo dentro da nossa própria família!!!

    MJ 4ever
    I love MJ

    ResponderExcluir
  9. Amei o texto!
    Bem traduzido e bem adaptado.
    Tenho que dar os parabéns também.

    Michael andou por esse mundo afora praticando a filantropia. Ele tinha um coração enorme! Fazia tudo para ajudar as pessoas.

    Zú, temos sim uma dificuldade enorme de enxergar o nosso próximo... até aquele que está bem pertinho.

    Deveríamos seguir o exemplo de uma pessoa assim, com sentimentos nobres, que não media esforços para ajudar.

    Vou citar também essas palavras do Michael, que achei perfeitas:

    "Alguns dos prazeres da vida que nós aproveitamos - água corrente, eletricidade, estradas pavimentadas, banheiros funcionando, camas e comida - são sonhos para a maioria das nossas famílias africanas."

    Suportaríamos nossa vida sem isso?

    Michael forever!

    ResponderExcluir
  10. mike desde de pequeno sempre teve boas intençoes.... sempre tentou ajudar mas nao sera a mesma coisa sem ele :(

    ResponderExcluir