quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Depoimentos da audiência preliminar de Murray

Confira todos os depoimentos do julgamento preliminar de Conrad Murray!

Créditos ao Twitter da MJ Beats.
Créditos ao arquivo-mj.blogspot.com.


1° DIA

Kenny Ortega (produtor) - Os ensaios do dia 23 e 24 foram ótimos. Porém, no dia 19, Michael não estava tão bem. "Ele não parecia nem um pouco bem. Estava frio e falava devagar", declarou. Além disso, Kenny disse que Michael faltou uma semana de ensaios no mês de Junho, o que o preocupou.
Michael Almir (guarda costas) - Após o Rei do Pop ser levado pela ambulância, Murray pediu para Almir ir na casa de Michael e retirar um 'creme que MJ não gostaria que o mundo soubesse'. Esse tal creme era hidroquinona, que Michael usava para uniformizar a pele devivo ao vitiligo. Almir também ajudou Murray e Frank Dileo a dar a notícia aos filhos de MJ. "Foi horrível!", comentou. Era de costume Murray estar em casa quando MJ chegava dos ensaios. Ele geralmente passava a noite lá. Os ensaios do dia 24 terminaram depois de meia noite. Nenhum segurança ou funcionário tinha acesso ao andar superior, apenas os governantes.
Faheem Muhammad (motorista) - Conrad Murray, ao perceber que Michael não estava respirando, perguntou se alguém sabia fazer o procedimento de ressuscitação. Jackson estava com olhos e boca abertos. Os filhos viram o pai morto. Paris gritava e chorava desesperadamente, de joelhos. Muhammad também declarou que, menos de 1 hora após MJ ser oficialmente declarado morto, Murray deixou o hospital falando que estava com fome e iria comer alguma coisa.

2° DIA

Alberto Alvarez (guarda costas)
- Foi ele que chamou os paramédicos no dia 25. Alega que Murray o obrigou a ocultar objetos antes de fazer a ligação. Enquanto tentava ressuscitar Michael, Conrad Murray colocou diversos frascos num saco plástico. Só após esconder tudo, C.M. ordenou que a emergência fosse chamada. "Murray me falou que era a primeira vez que ele fazia ressucitação cardio pulmonar", disse. Também declarou que Michael estava com olhos e boca abertos, esparramado para fora da cama, enquanto Murray fazia a massagem cardíaca com apenas 1 mão. Conrad disse que MJ tinha tido uma reação alérgica. Alvarez notou que o pênis de Michael estava para fora da cueca e com um catéter ligado a ele.
Kai Chase (cozinheira) - Murray estava com os olhos esburgalhados e voz alterada. Em pânico, perguntava pelo filho primogênito de Michael, Prince. Havia uma grande movimentação na mansão, e os governantes entraram em desespero. Murray não pediu para ela ligar para a emergência.
Richard Senneff (paramédico) - Senneff declarou que desde o início desconfiava que Murray não estava falando a verdade. Conrad Murray disse que aquilo teria acabado de acontecer, mas os paramédicos constataram que MJ deveria estar morto a, no mínimo, 20 minutos. Disse também que o único medicamento que foi dado era o Lorazepam, omitindo totalmente o Propofol. No UCLA, Murray estava nervoso, andando de um lado para o outro, suando. "Quando o levantei (Michael), suas pernas estavam frias. Seus olhos estavam secos", declarou.

3° DIA

Richard Senneff (paramédico) [2° depoimento] - Murray queria introduzir um catéter central para dar magnésio para MJ. Senneff disse que os paramédicos não têm magnésio entre os seus medicamentos. Michael não reagiu em nenhum momento aos medicamentos que foram dados para ressuscitá-lo.
Martin Blount (paramédico) - Blount era o motorista da ambulância. Os paramédicos perceberam que os olhos de MJ estavam 'inchados'. Parecia já estar morto. Murray disse que Michael tinha desmaiado cerca de 1 minuto antes da ligação para a emergência. Blount achou o catéter muito estranho. Ele flagrou Murray colocando 3 garrafas de lidocaína numa sacola. Murray disse que Michael não usava drogas recreativas.
Harry Daliwal (representante da AT&T) - A AT&T é uma prestadora de serviços para celular, transmissora do iPhone. Lembrando que Murray estava com 2 celulares quando o MJ morreu: um iPhone e um Sprint. Foram realizadas 8 ligações telefônicas entre 9:23 e 12:15 no iPhone de Murray em 25 de junho. Várias mensagens de texto também foram enviadas.
Jeff Strohn (representante da Sprint Nextel) - 6 chamadas foram realizadas no Sprint de Murray, inclusive uma dentro da ambulância para sua namorada (2 minutos de duração). Murray também enviou duas mensagens de texto próximo a um minuto ou dois do momento que os promotores acreditam que ele percebeu que havia algo de errado com Jackson. Pelos registros, ele passou quase uma hora e meia no telefone no período de cinco horas (somando as chamadas dos 2 celulares).
Richelle Cooper (médica do UCLA) - Conrad Murray admitiu ter presenciado a parada cardíaca de Michael Jackson. Não havia sinal de pulso quando o corpo chegou ao hospital. Após 1h26 minutos de tentativas frenéticas para ressucitar MJ, Cooper decidiu dar oficializada sua morte. Ela diz que saber o histórico de uso de medicamentos ajuda a fornecer o tratamento adequado e a entender o que aconteceu, porém Murray escondeu o uso de Propofol. Também fala que são necessários equipamentos adequados para administrar o Propofol. Murray estava auxiliando o tratamento na sala de emergência.
Thao Nguyen (médica do UCLA) - Murray também escondeu dela o uso do Propofol. Ele disse que não tinha noção de quando MJ tinha parado de respirar. Conrad Murray parecia devastado e não queria que os médicos cessassem as tentativas de salvar Michael.
Dan Myers (detetive) - O depoimento de Myers não foi muito relevante, ele apenas citou as ligações feitas por Murray. Não há nada para ser comentado.

4° DIA

Sade Anding (namorada de Murray) - Uma ligação de Murray para Sade foi feita às 11:51. Por volta de 11:55, o telefone teria ficado mudo. Ela disse ter ouvido movimentação. "É como se ele tivesse colocado o telefone no bolso", descreve. Num dos momentos, o promotor interrompeu Sade para concluir que o momento em que o telefone ficou mudo até a chamada para o número da emergência foram 26 minutos.
Bridget Morgan (namorada de Murray) - Num breve depoimento, Morgan diz que telefonou para Murray cerca de meia hora antes de Michael parar de respirar, mas ele não atendeu.
Nicole Alvarez (namorada de Murray) - Nicole conheceu Murray em 2005 em uma boate em que ela trabalha. Ela diz que Murray passa 2-3 noites da semana com ela e não sabe onde ele está quando não estão juntos. Murray deixava a casa por volta de 21:00/22:00 e retornava entre 7:00/10:00 da manhã. Nicole diz que sabia que Murray deixava seu apartamento de noite para tratar Jackson, mas que o médico não disse a ela "absolutamente nada" sobre esses tratamentos. Murray contou a ela que pacotes seriam enviados para sua casa e pediu que ela os guardasse. Diz que jamais soube qual era o conteúdo desses pacotes. Seu filho com Murray nasceu em março/2009. Nicole Alvarez foi rude e arrogante no tribunal, e chegou a ser advertida pelo Juíz: "Você tem que prestar atenção!".
Elissa Fleak (médica legista) - Fleak chegou na UCLA às 17:30 para exame físico do corpo na tentativa de deduzir algo sobre a causa da morte, mas não encontrou sinais óbvios. Fleak conseguiu 4 garrafas de sangue de MJ para testes toxicológicos. Após ir no UCLA, ela se dirige para a casa de Michael, onde encontrou os seguintes remédios: flomax, clonazepam, diazapam, lorazapam, tomazapam, trazadona, tiziaandine, vários frascos de pílulas, tubos de creme, hydrocodone, tubo de creme de lidocaína e benequin. Em resumo, Fleak encontrou 6 frascos de lidocaína e 12 frascos de propofol. Mais informações sobre os objetos e medicamentos encontrador pela legista, você encontra no Arquivo MJ.

5° DIA

Stephen Marx (investigador) - Marx ficou responsável por examinar o iPhone de Murray. Ele relatou um e-mail enviado para Murray em 25/06, por Bob Taylor, de uma seguradora em Londres. Taylor enviou o e-mail às 5:54 (manhã, Los Angeles), perguntando sobre a saúde de MJ. Murray respondeu às 11:27 (manhã, Los Angeles), falando que os relatos da mídia sobre a saúde de MJ eram falsos e que ele não poderia divulgar os registros médicos do artista. Haviam também e-mails repassados e anexados do corredor de seguros, sobre representantes oficiais de MJ e da AEG.
Tim Lopez (farmacêutico) - Lopez disse que em Novembro de 2008, Murray ligou pedindo um creme para tratar vitiligo, mas ele não tinha o creme disponível. Em Março de 2009, Conrad Murray volta a ligar, novamente perguntando se ele tinha um creme para vitiligo. O farmacêutico encontra um fornecedor. Murray pediu 40 unidades, um total de 1.200ml. Nos 2 meses que antecederam a morte de MJ, Conrad Murray fez diversos pedidos de frascos de Propofol. Ao todo ele pediu 255 frascos, totalizando 15.500ml! Murray pede para que o farmacêutico não entregue pessoalmente, mas envie-os por correio para um endereço que ele dizia ser de sua clínica, mas que na verdade era o endereço de sua namorada, Nicole Alvarez (veja depoimentos do 4º dia). Além do Propofol e do creme para vitiligo, Murray também pediu: lorazepam, midazolam, flumazenil e lidocaína.
Jaime Lintemoot (criminalista) - Pelo sangue retirado na UCLA, eles determinaram que propofol estava presente e, mais tarde, fizeram exames nos tecidos. Altos níveis de Propofol foram encontrados.
Orlando Martinez (detetive de homicídios) - Murray disse que injetava, no máximo, 50mg de Propofol em Jackson, e mantinha por via venosa para mantê-lo dormindo. Também disse que, por vezes, usava midazolam e lorazepam. Segundo Orlando Martinez, foi isso que aconteceu em 25/06: Murray deu para MJ os medicamentos Valium, Lorazapam, Diazopam e Mirazapam. Como nada disso fez efeito, Murray injetou 25mg de Propofol. Ele foi ao banheiro e quando voltou Michael estava sem respirar. Martinez disse que Murray não conseguia colocar Michael no chão sozinho. Porém Murray pesava cerca de 40 (ou mais) quilos a mais que MJ. Ele também disse que Murray não ligou para a emergência pois não queria descuidar de seu paciente. Porém Murray ligou para Alvarez e saiu do quarto para chamar Kai Chase. MUITAS CONTRADIÇÕES!

6° DIA

Christopher Rogers (médico legista) - Rogers realizou a autópsia de MJ. Ele afirma que Michael estava em excelente saúde quando morreu, levando em conta sua idade. MJ tinha apenas um problema na próstata, um pólipo no colon, pulmões inflamados e cicatrizados, e também um pouco de artrite na coluna. Ele não possuía anormalidades no coração e não tinha aterosclerose. Nenhuma doença cardíaca. Nenhum trauma ou doença natural que tenha causado sua morte. Sua altura era 1,75m e seu peso 61 quilos. Rogers diz que, mesmo se Michael tivesse aplicado/ingerido Propofol por si mesmo, o caso ainda seria homicídio, por conta do tratamento que Murray estava realizando. Ele menciona que seria difícil MJ ter aplicado o Propofol nele mesmo, pois o cateter IV estava na perna esquerda, abaixo do joelho, e seria difícil alcançar. Murray estava errado em deixar Michael sozinho após aplicar o Propofol.
Richard Buffalo (anestesista e farmacêutico) - Richard disse que, se é dado Propofol a alguém, técnicas de monitoramento devem ser utilizadas. E se o Propofol é misturado com outros medicamentos, o risco de uma reação adversa aumenta. "É evidente que você precisa estar mais atento... você precisa ser capaz de realizar técnicas de ressuscitação", relatou. Richard também disse que o nível de Propofol dado a Michael foi maior do que Murray afirmou ter dado.


© 2010/2011 – MJJ FC – Os direitos autorais do texto pertencem só e exclusivamente a seu autor. É unicamente dever do autor garantir a integridade do mesmo.

34 comentários:

  1. Excelente tópico Felipe... ótima idéia!!!
    Vai nos manter atualizados sem precisar ficar procurando por notícias na internet!
    Você pensa em tudo!!!
    Parabéns mais uma vez!!!

    Quanto as audiências... bem, vamos aguardar e torcer para que o "medicozinho" venha a ser julgado e que justiça seja feita!!!
    Tá mais do que provado que ele é culpado SIM pela morte do nosso querido!!!
    Já discutimos muito sobre isso em outros tópicos, então não serei repetitiva!
    Como terá muitas pessoas a depor, acho que será demorado.
    O bom é que a cada novo depoimento, surge fatos desconhecidos até então.

    No mais... JUSTIÇA PARA MICHAEL, CADEIA PARA MURRAY!!!

    Em tempo... ADOREI a foto!!!

    MJ 4ever
    I love Michael

    ResponderExcluir
  2. Realmente, uma ótima idéia, Felipe, nos manter informados sobre o "pré julgamento" daquele que nos tirou Michael Jackson.
    Vamos torcer para que ele tenha a punição que merece. Todos os depoimentos, acima, levam a isso.

    JUSTIÇA PARA MICHAEL, CADEIA PARA MURRAY!!!

    ResponderExcluir
  3. O depoimento do guarda-costas Alberto Alvarez compromete bastante o comportamento irresponsável do médico.
    Ordenar chamar a emergência somente após a ocultação de objetos... primeira vez que fazia ressucitação cardio pulmonar (e desconhecer o procedimento)... um cateter ligado ao pênis... Coisas comprometedoras.

    ResponderExcluir
  4. Muito comprometedoras!!!
    Se Michael estava com sonda urinária...
    Vamos ter muitas surpresas ainda...

    ResponderExcluir
  5. Também acho, Zú, muitas surpresas vêm por aí.
    Muito bom acompanhar os depoimentos. Você é demais, Felipe!!!!
    O comportamento desse CM é surpreendente, para um médico! Sei que ninguém morre de véspera mas, se ele não tivesse falhado tanto, Michael não teria morrido. Mentira, omissão. Não consigo entender como uma pessoa dessa pode se denominar "médico". Não me conformo.

    Aguardamos os depoimentos de hoje.

    JUSTIÇA PARA MICHAEL, CADEIA PARA MURRAY!!!

    ResponderExcluir
  6. Gente, o depoimento do paramédico Richard Senneff, me deixou horrorizada! Quanta mentira!
    Nosso Michael já morto há 20 minutos e ele querendo esconder evidências.
    Mentir sobre o Propofol... cara de pau!
    Pobre Michael, confiar num incompetente desses.

    Demais essa foto!

    ResponderExcluir
  7. Todos os depoimentos deixam o "médico" Conrad Murray em situação bastante comprometedora.
    O incompetente queria que os médicos ressuscitassem o astro. Como poderia, com tanta informação errada, que ele deu?

    A omissão do uso do Propofol foi de uma irresponsabilidade gritante. "...saber o histórico de uso de medicamentos ajuda a fornecer o tratamento adequado e a entender o que aconteceu" - Richelle Cooper (médica do UCLA).

    ResponderExcluir
  8. É verdade Guto...
    Ela disse também "que são necessários equipamentos adequados para administrar o Propofol".

    Trabalho na área de saúde e já atuei em anestesia geral... e era administrado justamente o propofol!
    A médica anestesiologista ficava o tempo todo ao lado do paciente... ele era entubado e monitorado e além de tudo isso a enfermeira ficava junto TAMBÉM!!!
    Isso tudo porque no caso de ter algum problema (parada respiratória etc), era administrado o medicamento necessário NA HORA... na veia que estava já com um soro!!!

    Para esse tipo de procedimento o paciente também tem que estar em boas condições de saúde... não pode ter anemia etc.

    CM está se enrolando cada vez mais e tenho fé de que irá a julgamento sim!!!

    A imprensa que sempre perseguiu nosso querido, está se redimindo fazendo um bom trabalho!!!

    E os fãs como sempre de plantão...

    Vamos aguardar e esperar porque acho que no fim de semana não deve ter nada não é mesmo?

    JUSTIÇA PARA MICHAEL, CADEIA PARA MURRAY!!!!

    MJ 4ever
    I love Michael...

    ResponderExcluir
  9. Opa, que bom, Felipe, dá pra acompanhar por aqui as preliminares do julgamento desse cara!

    Querendo limpar os vestígios da incompetência, procedendo de maneira tão negligente e desinformada, fica cada vez mais evidente que esse fulano matou, sim, o Michael.
    Os depoimentos deixam isso bem claro.

    Para o uso desse anestésico é necessário todo esse aparato, numa sala cirúrgica , como bem explicou a Zú... e pensar que o nosso querido estava num quarto, sem nada disso, nas mãos desse açougueiro. Como é que pode, gente???

    Ele não merece só quatro anos de cadeia. Prisão perpétua ainda seria pouco!

    JUSTIÇA PARA MICHAEL, CADEIA PARA MURRAY!!!!

    ResponderExcluir
  10. Ele estava com 2 celulares, e não ligou para a emergência. MEDO DE DESCOBRIREM A INCOMPETÊNCIA DELE!

    Aff...

    ResponderExcluir
  11. Isso mesmo, Felipe. Ele fez diversas ligações e mensagens de texto, conforme depoimento de Harry Daliwal (representante da AT&T) e nada de ligar para a emergência.
    Mas, mesmo que tivesse ligado logo, não daria mais tempo. A coisa foi irregular desde as origens. Veja o comentário da Zú. Ele jamais poderia ter usado anestésico, não tinha competência nem ambiente para isso.
    Como eles conseguiram esse remédio? Basta ter um diploma de médico para isso? O erro já começa daí. O controle deveria ser maior. E isso aconteceu num país de primeiro mundo.

    ResponderExcluir
  12. "Trabalho na área de saúde e já atuei em anestesia geral... e era administrado justamente o propofol!
    A médica anestesiologista ficava o tempo todo ao lado do paciente... ele era entubado e monitorado e além de tudo isso a enfermeira ficava junto TAMBÉM!!!
    Isso tudo porque no caso de ter algum problema (parada respiratória etc), era administrado o medicamento necessário NA HORA... na veia que estava já com um soro!!!

    Para esse tipo de procedimento o paciente também tem que estar em boas condições de saúde... não pode ter anemia etc." - Zú.

    INACREDITÁVEL COMO ISSO TUDO OCORREU NUM QUARTO DA RESIDÊNCIA DE UM ASTRO, MUNDIALMENTE FAMOSO, SOB O COMANDO DE UM SUJEITO QUE SE DIZ MÉDICO!!!

    ResponderExcluir
  13. Pois é pessoal... como estamos vendo, tem muita coisa ainda a ser descoberta!!!
    CM tem que pagar pelos erros dele! Foi muito irresponsável!!!
    Vamos assinar a petição que o Felipe postou aí em cima.
    "Ele estava com 2 celulares, e não ligou para a emergência" ... fico me perguntando como pode uma coisa dessas!
    É revoltante!!!!!
    A massagem com uma mão só, foi pro forma, só para que o segurança de Michael pensasse que ele estava socorrendo, quando na verdade ele sabia que o nosso querido já estava morto!!!
    Vou parar, porque isso tudo está despertando em mim sentimentos muito ruins!!!

    JUSTIÇA PARA MICHAEL, CADEIA PARA MURRAY!!!

    ResponderExcluir
  14. Quantas namoradas esse Murray tem?????? :S

    ResponderExcluir
  15. É Felipe... tb achei meio estranho esse fato... tantas namoradas!!!
    Tenho me lembrado sempre, que isso tudo está acontecendo, porque a família de Michael pediu um novo exame de necropsia... e foi justamente nesse segundo exame que foi detectado o propofol!!!

    JUSTIÇA PARA MICHAEL, CADEIA PARA MURAY!!!

    ResponderExcluir
  16. Quanto remédio, hein?
    E haja namorada!

    ResponderExcluir
  17. Muito remédio, né Guto? Esses remédios certamente tinham tarja preta e só poderiam ser vendidos com receita médica. O suposto médico receitava pra ele? O que ele pretendia com isso? Manter o Michael vivo? Ou acabar com a vida dele? Isso está cheirando a dolo, mesmo.

    JUSTIÇA PARA MICHAEL, CADEIA PARA MURAY!!!

    ResponderExcluir
  18. Sou leiga pra opinar sobre justiça. Mas, já que até o cardiologista que coloca fim na vida de seu paciente (paciente mundialmente famoso), por ser totalmente leigo em cardiologia, não é muito levado à sério e é julgado por homicídio culposo, (sem intenção de matar) eu também posso opinar sem ser julgada burra. Posso falar qualquer besteira que estará valendo, afinal, sou leiga também. Minha intenção não é falar besteira, mas como sou leiga, posso.

    Ah gente...pleaseeeeee

    Mesmo não acreditando nessa “morte”, nesse “crime”, me causa muito mal estar tudo isso. Pois se acaso eu acreditasse minha visão sobre tudo que está sendo mostrado seria péssima e revoltante. Estaria vendo tudo isso como um crime premeditado, intencional, com requintes de crueldade, um crime bárbaro e macabro... e não apenas como um homicídio culposo. Estaria unida aos fãs que estão lutando para que a justiça seja feita, estaria inconformada e enlouquecida com a pena de 4 anos caso o médico seja condenado, estaria gritando junto, e demonstrando toda a revolta por perder Michael dessa forma tão cruel e por estar vendo o desenrolar do caso dessa forma. Parece que não estão dando a atenção devida, parece que estão até ironizando. Só vejo contradições o tempo todo.
    Os depoimentos são ridículos.

    Vejo o julgamento de Murray, e tudo que vem acontecendo desde o dia da “morte” de Michael muito esquisito... estranho, sem nexo. Por isso sou believe e cada vez mais.
    Acusação de homicídio involuntário. Já nessa parte fico pasma. Como homicídio involuntário? Como a justiça pode permitir uma acusação de homicídio involuntário com tantas irregularidades...se fosse assim, qualquer criminoso poderia matar e se safar dessa forma...matei, mas não foi minha intenção. Se fosse assim, os médicos que cometem erros não seriam nunca punidos, afinal nenhum médico quer matar seu paciente, ainda mais na mira do mundo, penso assim.

    Murray é cardiologista, anestesista, urologista... e o que mais???

    Ainda não li o livro de Leonard, então não posso afirmar nada, mas segundo quem já leu, quase no final Joe diz:
    “Todos devem ser punidos, menos Murray”

    Como assim?
    Não foi ele quem “matou”?

    Quando acontece um crime onde há conspiração todos são culpados e punidos, tanto os mandantes quantos os executores.
    Como um pai que teve o filho assassinado por uma conspiração pode falar algo assim??
    Alguém já leu o livro??
    Ele diz isso mesmo no final??
    Eu sei que ele deu entrevista numa revista e insinuou que Murray foi o laranja e a La Toya disse que ele é o bode espiatório...e o assassino quem é???
    Se era ele quem estava com Michael na hora de sua “morte” e a própria família o “inocenta”, então não houve crime!! Ouve intenção da conspiração, e é isso que o pai de Michael quis mostrar no livro.
    Acredito que Michael foi forçado sim a forjar a morte pra poder continuar vivo, e está sob a proteção da justiça.

    Tudo que falarem nesse julgamento de Murray, nesses depoimentos todos, não acredito numa vírgula. E acho péssima e intenção de alguns quererem depreciar Michael e seus fãs, com seus depoimentos ridículos.

    ResponderExcluir
  19. Ortega sempre disse que Michael estava ótimo e que estava também muito animado. E isso eu vi com meus olhos em TII. Estava magro, mas muito animado e parecia ótimo mesmo.

    Murray se preocupa com o que o mundo vai dizer sobre o creme de hidroquinona, e não se preocupa com o que o mundo vai dizer sobre sua incompetência de médico? Não se preocupa em aprender os procedimentos básicos de uma ressuscitação??
    Como pode Murray perguntar se alguém sabia fazer CPR? Não é ele o cardiologista?

    Murray ajudou a dar a notícia aos filhos. Logo que Michael “morreu” li notícias onde diziam que Murray havia sumido.(essa contradição é mínima perto de tantas outras)

    Murray sentiu fome após “matar” seu paciente? Gente, pra acreditar nisso é difícil.
    Fatalidade existe, erro médico existe, infelizmente, mas não creio que um médico após perder a vida de seu paciente possa sentir fome.

    Se os paramédicos constataram que Michael estava morto já a uns 20 minutos, porque o entubaram e levaram ao hospital para tentar ressuscita-lo? Sem nexo isso.

    ResponderExcluir
  20. "...matei, mas não foi minha intenção. Se fosse assim, os médicos que cometem erros não seriam nunca punidos, afinal nenhum médico quer matar seu paciente, ainda mais na mira do mundo, penso assim."

    Aí seria um caso de homicídio CULPOSO, onde não há a intenção de matar, Maíra. E alguns deles são punidos, sim.
    No caso de CM, seu comportamento negligente, imprudente e com requintes de imperícia (como médico não deveria haver), resultaram na morte do astro. Talvez não fosse sua intenção, mas era algo totalmente previsível.

    "Se os paramédicos constataram que Michael estava morto já a uns 20 minutos, porque o entubaram e levaram ao hospital para tentar ressuscita-lo?"

    Eles queriam trazê-lo de volta à vida, Maíra, queriam ressuscitá-lo. A "ressuscitação" é uma tentativa desesperada de salvar alguém que já se foi. Michael morto há, pelos menos, 20 minutos, e eles ainda tentaram reanimá-lo. Tinham que fazer algo!

    A meu ver, Conrad Murray praticou um crime doloso, "disfarçado" de culposo. Talvez a mando de alguém que o estava pagando muito bem.

    JUSTIÇA PARA MICHAEL, CADEIA PARA MURAY!!!

    ResponderExcluir
  21. "A meu ver, Conrad Murray praticou um crime doloso, "disfarçado" de culposo. Talvez a mando de alguém que o estava pagando muito bem.". Guto, para mim isso que você falou resume tudo que penso, tudo!!!

    ResponderExcluir
  22. Então migo Guto, foi exatamente isso que eu disse, em outras palavras. Se acaso eu acreditasse que Michael realmente estivesse morto, não veria esse crime como homicídio culposo e sim doloso. Também me negaria a acreditar nessa mentira que um cardiologista fosse tão leigo a ponto de não saber fazer uma CPR.

    Eu disse:
    “Estaria vendo tudo isso como um crime premeditado, intencional, com requintes de crueldade, um crime bárbaro e macabro... e não apenas como um homicídio culposo.” = ( homicício doloso - com intenção de matar)

    E quanto a ressuscitação há um limite de tempo em que ela pode dar resultado. Médicos dizem que após 8 minutos sem oxigênio no cérebro se torna quase impossível uma ressuscitação e quando conseguem há sequelas. Mas, 20 minutos é muito tempo. Mesmo na tentativa de salvar a vida os paramédicos não tentariam ressuscitar uma pessoa morta já a uns 20 minutos, com os olhos secos, etc... pois saberiam que seria inútil.

    ResponderExcluir
  23. Maíra, o problema é que Murray falou que aquilo tinha acontecido HÁ APENAS 1 MINUTO. De qualquer forma, os paramédicos tinham que tentar fazer algo, pois é para isso que eles são chamados. :)

    ResponderExcluir
  24. Sim eu sei Felipe que os paramédicos são chamados pra salvar vidas. :)

    Mas o próprio paramédico disse ter visto que Michael já devia estar morto a uns 20 minutos.(disse até que os olhos já estavam secos) Então quando o próprio paramédico constata isso, não tem lógica entubar, levar ao hospital e tentar fazer a ressuscitação.

    Eles sabem como identificar mais ou menos o tempo em que a pessoa entrou em óbito.

    E como ele disse que Michael já devia estar morto a uns 20 minutos, ele também sabia que seria desnecessário tentar alguma coisa.

    Eles encenariam tudo isso porquê???

    Mas, como disse, não acredito em nada do que estão dizendo.
    E se eu acreditasse nessa "morte", esses depoimentos seriam muito mais rídiculos pra mim, do que já estão sendo.

    Cada coisa que falam...

    Murray falar que Michael implorava e exigia o "leitinho" pra dormir...aff cada coisa!
    Querem passar um Michael "drogado", e um médico com problemas mentais, "bobo" mesmo, só pode. Porque isso já não seria só falta de ética médica...não seria só um médico leigo...
    Só sei que Murray só fala asneiras, e cada hora fala uma coisa, se enrola todo nas contradições.

    Mas é minha opinião. ;)

    Vamos ver no que vai dar isso.
    Não estou vendo seriedade nenhuma nesse caso que abalou o mundo.

    ResponderExcluir
  25. Eu fico completamente entristecida ao ler tantos fatos que comprovam a negligência de Murray durante o dia 25 que parecem completamente ignorados pela justiça. Sinceramente, homicídio culposo não é pouco e sim MUITO pouco para um médico que agiu da forma que ele agiu naquele dia.

    ResponderExcluir
  26. Não consigo acreditar que um homem de 100kg (CM), não tenha forças pra colocar no chão, alguém como Michael, com quase a metade do tamanho dele.
    Inacreditável!!!

    Lamento que a petição não tenha surtido o efeito desejado!!!

    Se ele fosse condenado por homicídio doloso, a pena seria maior... do que culposo!!!

    Concordo com você Fernanda, mesmo assim seria POUCO, muito pouco por tudo o que ele fez ao nosso querido Michael!!!
    Lamentável né Fernanda?

    Bom te ver comentando novamente Maíra querida!!!
    Também estou começando a desconfiar que tem algo muito estranho no ar... será que ele (CM), foi "mandado" mesmo???

    No mais, vamos aguardar... e

    JUSTIÇA PARA MICHAEL, CADEIA PARA MURRAY!!!

    ResponderExcluir
  27. Tomara que esse Conrad Murray que brinca de ser médico macabro tenha a pena que merece: prisão perpétua.

    JUSTIÇA PARA MICHAEL, CADEIA PARA MURRAY!!!

    ResponderExcluir
  28. Obrigada miga Zú pelo carinho...te amo!! :)

    Tem tudo estranho no ar, tudo.
    Desde o dia da “morte” de Michael, tudo é muito estranho, inacreditável, obscuro...tanto nas notícias como também no comportamento dos familiares,do médico, no comportamento do pessoal preparado para a investigação... informações desencontradas, contraditórias, sem crédito...
    Falhas absurdas foram mostradas o tempo todo, o que foi reforçando ainda mais minhas convicções e de muitas outras pessoas.
    E agora no desenrolar da audiência do médico, tudo parece mais evidente...mostram a falta de seriedade...mostram descaso...depreciam Michael e todos os que estão acompanhando essa audiência esquisita.

    É minha opinião, é essa minha visão.

    Se tivessem noticiado que Michael morreu de parada cardíaca, não por esses absurdos todos, e sim por fatalidade da vida, embora estivesse sendo acompanhado por um médico competente cujo esforços foram em vão, o mundo todo não teria se dividido em acreditar ou não nessa morte.

    Ou mesmo se tivessem noticiado a falha médica de um médico competente, não teriam deixado espaço para as dúvidas. Mas mostrar um médico totalmente desqualificado que coloca fim a vida do maior astro de todos os tempos...é demais pra acreditar nisso. Eu sinceramente não acredito.

    Porque qualquer pessoa pode sofrer um ataque fulminante. O que causou essa dúvida foram os absurdos que levaram a essa morte. Michael jamais deixaria sua vida nas mãos de um médico totalmente leigo. Michael não é nenhum viciado e muito menos o “bobo” que querem passar. Querem mostrar um Michael,dependente,“drogado”, incapaz de raciocínio, incapaz de tudo...isso não é verdade. O que vi em TII não me deixa acreditar nesses absurdos que insistem em dizer. Vi o Michael ativo, comandando tudo.
    Michael é uma pessoa totalmente responsável, empenhada, decidida, inteligente, e com muito amor à vida...não só a vida dele, como a de seus filhos e de todos.

    Michael...I love you more...L.O.V.E.

    ResponderExcluir
  29. " Michael não é nenhum viciado e muito menos o “bobo” que querem passar. Querem mostrar um Michael,dependente,“drogado”, incapaz de raciocínio, incapaz de tudo...isso não é verdade."

    Michael estava viciado, sim, Maíra, em remédios. Não em drogas ilegais. É doloroso, mas é a verdade. E esse médico era a ÚLTIMA pessoa que poderia ajudá-lo.
    A impressão que dá é que ele estava bem longe dos amigos e da família, não sei se por opção, ou não.

    ResponderExcluir
  30. Eu sei guto, dizem que Michael estava viciado em analgésicos, em remédios... como já disseram tantas outras coisas... Mas, coloquei "drogado" (entre aspas) porque o que querem passar é isso.
    Eu não acredito que Michael seja viciado em remédios.
    Eles podem falar que Michael "era viciado em remédios", podem falar o que quiserem. Nós temos o direito de acreditar ou não no que dizem.
    Eu particularmente, não acredito em tudo que dizem.
    Acredito apenas no que me é convincente.

    Mas é minha opinião. ;)

    ResponderExcluir
  31. "A impressão que dá é que ele estava bem longe dos amigos e da família, não sei se por opção, ou não."

    Então Guto, temos nossas impressões e formamos nossas convicções através daquilo que nos é mostrado.
    Não podemos ter certeza absoluta de nada. Podemos apenas ter as “nossas” certezas através das nossas impressões, com nossos pontos de vista através daquilo que nos é mostrado.

    Ficou meio enroscado...mas é isso aí... :D

    Acredito naquilo que enxergo. Não enxergo Michael assim, por mais que falem. Não por ser apenas doloroso, mas por não enxergar Michael assim. ;)

    ResponderExcluir
  32. " Rogers realizou a autópsia de MJ. Ele afirma que Michael estava em excelente saúde quando morreu, levando em conta sua idade."

    Não fosse o comportamento leviano de seu "médico" particular, e se ele estivesse sendo acompanhado por um profissional capacitado, certamente ele não teria morrido e teria feito sua turnê TII.

    JUSTIÇA PARA MICHAEL, CADEIA PARA MURRAY!!!

    ResponderExcluir
  33. Maíra, o Michael não morreu simplesmente de 'ataque cardíaco', ele morreu de overdose de remédios, que resultou num ataque cardíaco. Então você acha que TODAS essas pessoas que estão depondo, profissionais competentes, estão 'mentindo', 'armando'...?

    Isso é meio impossível. :)

    ResponderExcluir
  34. Felipe,
    Todos temos o direito de acreditar ou não em algo, nas pessoas, nas notícias, nos boatos...
    Não somos obrigados a acreditar nas palavras de ninguém, mesmo que essas palavras sejam de profissionais competentes.

    Qualquer pessoa pode despertar crédito ou não em outras, independente de sua profissão, de seu cargo, de sua cultura...

    Eu não acredito que Michael tenha morrido. E cada vez me convenço mais que ele está vivo. É um direito meu, como também é seu acreditar que ele tenha morrido dessa forma que estão dizendo. Todos temos as “nossas certezas” nada mais que isso. Não estou impondo à você minha opinião como sei que você também não está, e nem podemos fazer isso. Estamos apenas expondo nossas opiniões. ;)

    Acreditaria se tudo tivesse sido noticiado de forma clara, o que não aconteceu.
    Tudo desde o início foi obscuro, contraditório, incoerente...nada me convenceu.
    Acredito naquilo que me é transparente.

    Não acredito nessa dependência em remédios que insistem em dizer.
    Não acredito nesse Michael dominado e incapaz que insistem em desenhar.
    Não acredito que Michael estivesse incapacitado em decidir e escolher um médico capacitado pra cuidar de sua saúde nos shows.
    Não acredito em nada que a mídia diz, principalmente quando esses boatos depreciam Michael. Não por ser uma fã fanática não, mas pelo simples fato de ter aprendido a enxergar, entender e acreditar em Michael e em seus propósitos.

    Acredito naquilo que me é convincente.
    Não sou nenhuma lunática, e em nada me afeta quando querem dizer que sou.
    Eu me conheço, e sei como sou. Sou bem realista. Acredito naquilo que me é real, e não naquilo que manipulam ou dizem ser verdade.

    Acredito sim na fatalidade.
    Qualquer pessoa pode sofrer uma parada cardíaca e ter uma morte fulminante, inclusive Michael que também é um ser humano.
    Acreditaria se dissessem que Michael morreu por uma parada cardíaca. (apenas)
    Não acreditei na “morte” dele porque deixaram evidências de vida.
    Não acreditei na “morte” dele porque sei de sua capacidade e inteligência para não ter ficado esperando por ela, já que estava anunciada. (como ele mesmo falou aos mais próximos)
    Não acreditei na “morte” dele, pelas falhas absurdas do médico.
    Não acredito nesses absurdos todos que estão dizendo e mostrando desde o dia de sua “morte”.


    Tiramos nossas conclusões baseados naquilo que nos é mostrado, mas sempre de acordo com a nossa visão das coisas.

    “temos nossas impressões e formamos nossas convicções através daquilo que nos é mostrado.
    Não podemos ter certeza absoluta de nada. Podemos apenas ter as “nossas” certezas através das nossas impressões, com nossos pontos de vista através daquilo que nos é mostrado.” Foi como disse ao Guto.

    Minha visão diante de tudo que estão mostrando é de descrédito, o que Michael me mostrou foi muito mais convincente.
    Nada vai mudar essas “minhas certezas”
    Falem o que quiserem e seja qual for o resultado desse julgamento.

    Essa é minha opinião. :)

    ResponderExcluir