quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Black Or White

Black Or White foi o primeiro compacto do álbum Dangerous, lançado no final de 1991. Composta por Michael Jackson (apenas o RAP foi composto por Bill Bottrell), e apelando para a igualdade racial, a canção ficou em primeiro lugar em dezenas de países. O single tornou-se o mais vendido da década de 1990.

"Não importa se você é preto ou branco / E eu falei sobre igualdade / Eu estou cansado desse mal / Eu estou cansado dessa coisa / Eu estou cansado desse negócio / É uma guerra de territórios numa escala global / Não se trata de raças, apenas lugares, rostos / Eu não vou passar a minha vida sendo uma cor", diz Black Or White, protestando contra o preconceito.

Sendo um dos mais marcantes na carreira de Michael Jackson, o vídeo começa com Macaulay Culkin escutando uma música alta no quarto, até que seu pai reclama. Irritado, ele aumenta o volume das caixas de som e toca uma guitarra, levando o pai para a África. Assim a música começa. Michael canta e dança com pessoas de vários locais e culturas. O videoclipe também contou com um efeito inétido até então. Vários rostos (negros, brancos, loiros, morenos, gordos, magros...) sofrem uma 'metamorfose', transformando-se uns nos outros.

Mas a polêmica começa quando Michael Jackson realiza passos de dança em um beco bastante escuro e deserto. O Rei do Pop quebra carros, janelas, garrafas... A mídia falava que o clipe 'poderia ser uma má influência', enquanto o seu objetivo era totalmente contrário. Para finalizar, é mostrada a frase 'Prejudice is ignorance', ou seja, 'Preconceito é ignorância'. Obviamente, a imprensa ignorou o apelo positivo que Black Or White realizava.

Tentando acabar com a polêmica, Michael cortou os últimos minutos do vídeo e comunicou: "Entristece-me pensar que 'Black or White' poderia influenciar qualquer criança ou adulto a ter um comportamento destrutivo. Eu sempre tentei ser um bom exemplo e, portanto, fiz estas mudanças para evitar qualquer possibilidade de, inadvertidamente, afetar o comportamento de qualquer indivíduo". Para dar motivo ao corte, mensagens racistas foram colocadas, digitalmente, nos objetos que Michael quebrou. "Hitler vive", "Não sentem seus traseiros molhados aqui" e "Negros, voltem para casa", foram algumas delas.

Porém, tanta polêmica não impediu que Black Or White se tornasse o videoclipe de maior estreia, com uma audiência média de 500 milhões. Parece que John Landis, também produtor de Thriller, conhecia o segredo do sucesso. Michael Joseph Jackson novamente parou o mundo com seu talento, genialidade e ousadia.

"E eu falei sobre igualdade!"

© 2010 – MJJ FC – Os direitos autorais do texto pertencem só e exclusivamente a seu autor. É unicamente dever do autor garantir a integridade do mesmo.

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

O último Natal de Michael Jackson

7 Quartos, 13 banheiros, 12 lareiras, sala de projeção, casa de hóspedes, piscina e jardim. Foi numa mansão assim que Michael Jackson teve sua última ceia de Natal. Em 2008, o Rei do Pop convidou o dermatologista Arnold Klein para passar o Natal com ele e seus filhos, Prince, Paris e Blanket.

A atriz Carrie Fisher, que interpretou a 'Princesa Leia' em Star Wars, também comemorou o Natal com Michael e os filhos. As crianças eram fãs da saga, e adoraram a surpresa.

Depois da comemoração, Michael colocou Prince, Paris e Blanket para dormir. Será que eles aproveitaram a noite? Tomara que sim! Pois aquele foi o último Natal do mundo com Michael Joseph Jackson em vida. Arnold Klein e Carrie Fisher foram muito, muito, muito p
rivilegiados por estarem lá.

Fisher não exitou em relatar
qual a impressão que teve de Michael e os 3 P's:

"Eu não acredito que Michael tenha feito algo de inconveniente, não só para seus filhos, mas para qualquer outra criança. Ele era uma criança mesmo. Nunca de forma alguma o vi como alguém que foi capaz de fazer aquilo que o acusaram. Ele era devotado à sua família. Em uma cidade onde você muitas vezes ver os filhos de celebridades aos cuidados dos outros, nunca vi nada parecido com Michael e seus filhos. Eu diria que ele era um pai presente, mas como a imprensa e alguns do público são como são, eu não quero dizer nada que pudesse ser interpretado diferente do que a cena de amor que observei entre os três filhos e a ele mesmo. Eu não iria ganhar nada em afirmar isso. Michael foi a alma mais doce que já encontrei. Ele foi generoso e educado. E onde você poderia esperar ver crianças mimadas, seus filhos não mostraram nada disso." (2009)

Os momentos da celebr
ação ficaram registrados em algumas fotos. Confiram:


Nunca mais haverá outro Natal com Michael Jackson...



Fonte de informações:
Fórum The Essential

© 2010 – MJJ FC – Os direitos autorais do texto pertencem só e exclusivamente a seu autor. É unicamente dever do autor garantir a integridade do mesmo.

terça-feira, 12 de outubro de 2010

We Are The World - USA For África


No início de 1985, 45 importantes nomes da música se reuniram em Hollywood, no A&M Studios, para gravar uma única canção: We Are The World! Ela fazia parte do projeto 'USA For África', que tinha como objetivo arrecadar fundos para diminuir a fome e a pobreza extremas na África. Composta por Michael Jackson e Lionel Richie, e produzida por Quincy Jones, We Are The World fala que, se nos unirmos, podemos fazer um mundo melhor.

Entre os vocais estavam Michael Jackson, Lionel Richie, Paul Simon, Tina Turner, Diana Ross, Bruce Springsteen, Stevie Wonder, Ray Charles, entre vários outros. Os irmãos de Michael (Jackie, LaToya, Marlon, Tito e Randy), também participaram. Prince, Madonna e Liza Minnelli foram convidados para participar da canção, mas não se tornaram presentes. Certamente eles não imaginavam que We Are The World faria tanto sucesso!

Além do single, foi lançado também um clipe com a filmagem da gravação. Obviamente, o lucro desse vídeo foi revertido para a campanha 'USA For África'. No final das contas, We Are The World se tornou um dos compactos mais vendidos de todos os tempos, e conseguiu lucrar milhões, milhões e milhões de dólares. Tudo serviu apenas para a caridade. Só podia ter Michael Jackson no meio!

Em fevereiro de 2010, 'We Are The World 25 - For Haiti' foi lançada. Dessa vez, arrecadando fundos para ajudar as vítimas do terremoto no Haiti. Algo admirável foi que, no clipe e na gravação, não cortaram a parte de Michael. Talvez tentando manter sua memória sempre viva, afinal, ele foi o maior responsável por tudo aquilo. Quem teria coragem de cortar a voz mais bonita da canção?

We Are The World salvou diversas vidas, e nos transmitiu uma mensagem: Se cada um fizer sua parte, podemos criar um mundo mais feliz, com menos sofrimento, mais paz! Pois NÓS SOMOS O MUNDO!



We Are The World - USA For África

Outros vídeos:
We Are The World 25 - For Haiti

Michael gravando o refrão de We Are The World

Michael brincando em We Are The World

What More Can I Give


© 2010 – MJJ FC – Os direitos autorais do texto pertencem só e exclusivamente a seu autor. É unicamente dever do autor garantir a integridade do mesmo.

domingo, 3 de outubro de 2010

A voz de Thriller: Vincent Price

O ator Vincent Price nasceu em 27 de maio de 1911 (há cerca de 100 anos). Sua voz 'tenebrosa' contribuiu para que ele fosse chamado para diversos filmes de terror e suspense. Price atuava ou narrava constantemente curtas, médias e longas metragens desses gêneros.

Michael lançou o álbum Thriller em 1982. Como o nome já indicava, a música-título do disco falava de terror. E, naquela época, a figura mais relacionada com o tema 'terror' era Vincent Leonard Price. Claro que ele foi chamado para participar da canção. Com um 'tom assustador', e usando sua voz fantasmagórica (estilo Cid Moreira americano), Vincent gravou um 'poema de terror' para o single:

"A escuridão cai sobre a terra
A hora da meia-noite está próxima
Criaturas rastejam em busca de sangue
Para aterrorizar sua vizinhança
Quem quer que seja encontrado
Sem uma alma para oferecer
Deve permanecer e enfrentar os caçadores do inferno
E apodrecer dentro de um cadáver

O fedor abominável está no ar
O ranço de quarenta mil anos
Zumbis grisalhos de todas as tumbas
Estão se aproximando para selar seu destino
E apesar de você lutar para sobreviver
Seu corpo começa a sentir calafrios
Pois nenhum mero mortal pode resistir
À malevolência do terror"

Em 1990, Vincent Price contracenou com Johnny Depp, naquele que seria seu último filme: "Edward, Mãos de Tesoura", onde interpretava um 'inventor maluco'. Em 1993, 82 anos, ele faleceu com cancro no pulmão. Sua voz conseguiu registrar a história cinematográfica, e a marca de Price continuará viva em todos os filmes que tiveram sua participação.


© 2010 – MJJ FC – Os direitos autorais do texto pertencem só e exclusivamente a seu autor. É unicamente dever do autor garantir a integridade do mesmo.