sexta-feira, 27 de agosto de 2010

"Michael Jackson foi um herói" - Madonna

Discurso de Madonna no Video Music Awards de 2009. Muito bonito. Vale a pena ler!

Madonna - Setembro/2009

Michael Jackson nasceu em agosto de 1958, e eu também. Michael Jackson cresceu no subúrbio do Meio-Oeste, e eu também. Michael Jackson teve oito irmãos e irmãs - e eu também. Quando Michael Jackson tinha 6 anos, ele se tornou um superstar e talvez a criança mais adorada do mundo. Quando eu tinha 6 anos, minha mãe morreu.

Eu não tive mãe, mas ele nunca teve infância. E, quando você nunca teve algo, você se torna obcecado por isso. Eu passei minha infância buscando a imagem de minha mãe; e às vezes até conseguia. Mas como você faz para recriar sua infância quando você está sob os olhares do mundo para o resto de sua vida?

Não há dúvidas de que Michael Jackson foi um dos maiores talentos que este mundo já teve a chance de conhecer. De que quando ele cantava uma música aos 8 anos de idade, ele era capaz de fazer com que você sentisse como se um adulto estivesse apertando seu coração com suas palavras. De que o modo como ele dançava tinha a mesma elegância de Fred Astaire e o mesmo impacto de um soco de Muhammad Ali. De que sua música possuía uma camada extra de magia inexplicável, que não só fazia você querer dançar, mas que na realidade conseguia fazer você acreditar que era capaz de voar, de ousar sonhar, de ser tudo o que quisesse ser. Porque é isso que os heróis fazem. E Michael Jackson foi um herói.

Ele se apresentou em estádios de futebol ao redor do mundo, vendeu centenas de milhões de discos, jantou com primeiros-ministros e presidentes. As garotas se apaixonavam por ele, os garotos se apaixonavam por ele, todos queriam dançar como ele. Ele parecia ser de outro mundo, mas ele era também um ser humano. Assim como a maioria dos artistas, ele era tímido e inseguro.

Não posso dizer que éramos grandes amigos, mas em 1991 eu decidi que queria conhecê-lo melhor. Convidei-o para jantar. Eu disse, ‘O convite é meu, eu dirijo, só você e eu’. Ele concordou e apareceu na minha casa sem qualquer guarda-costas. Fomos até o restaurante no meu carro. Estava escuro, mas mesmo assim ele usava óculos escuros. Eu disse, ‘Michael, me sinto como se estivesse conversando com uma limusine. Será que você poderia tirar esses óculos para que eu possa ver seus olhos?’. Ele ficou parado por alguns instantes, e então atirou seus óculos pela janela, olhou para mim sorrindo, piscou e disse, ‘Consegue me ver agora? Melhor assim?’.

Naquele momento fui capaz de enxergar tanto sua vulnerabilidade quanto seu charme. Passei o resto do jantar tentando convencê-lo a comer batata frita, beber vinho, comer sobremesa e dizer palavrões, coisas que ele parecia jamais se permitira fazer. Mais tarde, voltamos para minha casa para assistir filme e ficamos sentados no sofá feito duas crianças. Em algum momento do filme, sua mão segurou a minha. Ele parecia estar procurando uma pessoa amiga e não um romance e fiquei feliz por estar ali. E naquele instante ele não se sentiu um superstar, ele se sentiu um ser humano. Nós saímos juntos mais algumas vezes e, por algum motivo, perdemos o contato.

Foi então que começou uma verdadeira ‘caça às bruxas’ na vida de Michael, com uma história surgindo após a outra. Eu senti a dor dele. Eu sei como é andar na rua e sentir como se o mundo todo estivesse contra você. Eu sei como é se sentir desamparado e incapaz de se defender, porque o barulho é tão alto que você se convence de que sua voz jamais será ouvida. Mas eu tive uma infância, e tive a chance de cometer erros e de descobrir meu caminho no mundo sem a luz dos holofotes.

Quando soube da morte de Michael Jackson eu estava em Londres, alguns dias antes do início da minha turnê. Michael ia se apresentar no mesmo local que eu, uma semana depois. Naquele instante, só consegui pensar que eu o havia abandonado. Que nós o havíamos abandonado. Que havíamos permitido que aquela criatura magnífica, que um dia agitou o mundo, caísse enquanto tentava construir uma família e reconstruir sua carreira. Estávamos ocupados demais fazendo julgamento. A maioria de nós lhe deu as costas.

Em uma tentativa desesperada de manter sua memória viva, fui para a internet assistir alguns de seus vídeos em que ele aparecia cantando e dançando na TV e nos palcos e pensei: ‘Meu Deus, ele era tão único, tão original, tão raro. E jamais haverá alguém como ele novamente’. Ele era um rei. Mas ele também era um ser humano. E nós as vezes precisamos perder algo para aprender a dar valor.

Quero concluir de forma positiva, e dizer que meus filhos de 9 e 4 anos são obcecados por Michael Jackson. Eles o imitam com os passos ‘moonwalker’ e colocando a mão na virilha, e parece que há uma nova geração descobrindo sua genialidade e trazendo-o de volta à vida. Espero que, onde quer que Michael esteja agora, ele esteja sorrindo a respeito disso.

Sim sim, Michael Jackson era um ser humano, mas ele era sim um rei. Vida longa ao Rei.


Vídeo (não legendado): Youtube

Créditos:
- Fórum 'The Essential'

© 2010 – MJJ FC – Os direitos autorais do texto pertencem só e exclusivamente a seu autor. É unicamente dever do autor garantir a integridade do mesmo.

15 comentários:

  1. Coitado de ambos,Mike não teve infância,e ela perdeu a mãe ;/

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Felipe amei vc ter postado o discurso da Madonna.
    É muito lindo mesmo!!!

    Qdo assisti ao vivo o VMA e ela disse tudo isso... eu chorei até...

    MJ 4ever
    I love MJ

    ResponderExcluir
  4. Depois de ler esse discurso, já vejo a Madonna com outros olhos.
    Gostei muito do que ela falou.
    Aaaaii...que saudade!
    LOVE

    ResponderExcluir
  5. Adorei esse discurso de Madonna...Me emocionei muito com ele! ;)

    Ela evidenciou com precisão o gênio... o ser humano Michael...seu talento, sua magia, integridade, suas carências, e personalidade.

    Quando ela relatou sua atitude em razão a “morte” de Michael, demonstrou com exatidão a dor, o desespero e a revolta que arrasou não só a ela como também o mundo todo.
    Foi justamente nesse momento de dor que despertamos, que percebemos como somos egoístas, insensatos, indiferentes.

    Michael lutou incansavelmente através de seus exemplos, talento e apelos para mudar o mundo, mudar nossos conceitos, nossas atitudes...

    A “morte” de Michael com certeza nos despertou de um sono profundo, embora muitos ainda insistam em continuar em sua apatia mórbida, a maioria já entrou num processo de mudança interior.

    ” há uma nova geração descobrindo sua genialidade e trazendo-o de volta a vida”
    Todas as gerações estão descobrindo Michael, e essa descoberta continuará em todas as gerações com certeza!;)


    Michael...I love you more...L.O.V.E.

    ResponderExcluir
  6. Achei esse discurso da Madonna espetacular!!!
    Ela simplesmente disse tudo o que um fã quer ouvir sobre o Rei do Pop!!!

    "...quando ele cantava uma música aos 8 anos de idade, ele era capaz de fazer com que você sentisse como se um adulto estivesse apertando seu coração com suas palavras"...
    Aí, está, a meu ver, o segredo de seu sucesso, que começou quando ele era ainda bem garoto.

    ..."Naquele instante, só consegui pensar que eu o havia abandonado. Que nós o havíamos abandonado"...
    É, muitos se deram conta de que o abandonaram, apenas, depois de sua morte... Mas a mídia é cruel e contribuiu muito pra isso.

    Parabéns, Felipe, pela escolha do assunto da postagem!

    MJ Forever!

    ResponderExcluir
  7. Caaraamba, mtoo profuunda essa postagem
    De duaas grandes estrelas qe tiveeram sua infância afetada por algum fator,
    Michael teeve suua infância brutalmente tirada por seu pai, e Madonna perdeu mto cedo sua mãe =/.
    Ela feez uma tremenda explanação do artista MJ e do ser humano MJ, tooca lá no fuundo as palavras qe ela usou pra descrever o MJ, de como ele se sentia sóziinho =/, qdo todos o viraram as costas,
    e sua tentativa de voltar aos palcos =/..
    Parabéns pelo post (ý)
    MJ FOREVER

    ResponderExcluir
  8. É, Rodrigo, a Madonna foi fundo mesmo.
    As coincidências entre ambos, impressiona! As perdas, datas de nascimento, quantidade de irmãos...
    Ela ter sido privada do amor materno, tão cedo, lhe causou uma tristeza imensa, imagina-se. Por outro lado, Michael, forçosamente, ter trabalhado, em tenra idade, resultou no que todos sabemos.

    Uma coisa maravilhosa que o mundo está observando: ..."e parece que há uma nova geração descobrindo sua genialidade e trazendo-o de volta à vida"... Não parece, Madonna... realmente está ocorrendo isso!

    Porque o MJ é Eterno!!!

    ResponderExcluir
  9. Serela,
    Isso tudo que está acontecendo... uma nova geração "descobrindo" Michael Jackson é MARAVILHOSO!!!
    Vi até uma Comunidade "Meus filhos irão ouvir MJ" ou algo assim...
    Que isso tudo venha trazer um pouco de alento ao coração de seus filhos ...

    MJ 4ever
    I love MJ

    ResponderExcluir
  10. Amei esse discurso da Madonna... não importa se ela é falsa, brigou com o Michael... isso não nos diz respeito. O que vale mesmo é o que ela colocou aí... as suas palavras para o nosso Rei!

    Como o Guto destacou, Michael cantava aos oito anos de idade, como se fosse um adulto, com emoções de adulto, cantando para adultos...
    A primeira música que ouvi dele foi Ben... lindíssima! Me causava emoções, tal qual se fosse um adulto cantando. Ele já começou esbanjando talento, precrocimente.

    Vi o vídeo, Felipe... pena que não é legendado. Mesmo assim, valeu. Estavam lá, na platéia, Jermanie e Joseph Jackson (de chapéu e óculos, igual ao filho famoso).

    I love you, Michael!

    ResponderExcluir
  11. "...quando ele cantava uma música aos 8 anos de idade...como se um adulto estivesse apertando seu coração com suas palavras"...

    Interessante, Adrianice, é que sempre considerei isso aí que ela falou... mas, nunca fui capaz de colocar em palavras, de forma tão precisa, como ela colocou...

    MJ, meu eterno Rei!

    ResponderExcluir
  12. Estava olhando essa foto dos dois agora... eles têm exatamente a mesma idade, são astros famosos, bonitos, e tiveram perdas, significativas, no começo de suas vidas. Mas isso não impediu o sucesso deles... Muito pelo contrário, acho que deu mais forças p os dois chegarem ao estrelato.

    Adorei o que ela falou sobre o Michael... é tudo o que eu queria ouvir, agora que ele se foi.

    MJ Forever!!!!!!

    ResponderExcluir
  13. Quando ouço as músicas do Michael "pequeno", sinto a emoção que ela falou, como se um adulto estivesse apertando meu coração com palavras.
    Destaco isso também, Guto.

    L.O.V.E.

    ResponderExcluir
  14. É, Zú, é maravilhoso, sim... É um resgate de todo o seu potencial, depois de sua morte.
    O Faustão, num de seus programas, falou algo nesse sentido, se referindo às crianças.

    MJ Imortal!!!

    ResponderExcluir
  15. Nossa, eu nunca gostei da Madonna, mas o depoimento dela, foi muito emocionante.
    Mudei um pouco a minha opinião sobre ela.

    ResponderExcluir